CURSO DE INGLÊS ...

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

UMA VIAGEM SEGURA !!!


Para minimizar os riscos em caso de acidentes, utilize sempre o cinto de segurança. Seu uso é obrigatório no Brasil, o que inclui o motorista e todos os passageiros no banco da frente e traseiro. Faça com que o uso do cinto seja automático, assim que você entrar no carro, não importando a distância.

Regule também, para sua maior visibilidade, todos os espelhos retrovisores, o interno e os externos.

Já para as crianças, vale salientar que andar protegido faz toda a diferença em caso de acidentes. Verifique o dispositivo de segurança adequado ao peso, altura e idade da criança a ser transportada no veículo.

Distribua as bagagens no porta-malas de forma que nada fique solto dentro do veículo. As bagagens mais pesadas devem ficar na parte de baixo, sob as mais leves, distribuídas para que não pesem só de um lado do veículo. Dentro do carro, evite deixar objetos soltos, muito menos na bandeja traseira, pois, no caso de colisão, estes comprometem a segurança de seus ocupantes, podendo provocar graves lesões e até  levar a uma fatalidade.

Planeje seu roteiro de viagem e, caso não conheça o percurso, mantenha-se na faixa da direita, onde é permitido trafegar em menor velocidade. Procure localizar um estabelecimento de confiança, como um posto de combustível, posto policial ou comércio, para que possa pedir informações de forma segura.

Fique atento ao limite de velocidade permitido nas vias. Em caso de manobras, sinalize. Mantenha também a distância segura do veículo à frente. Para isso, você pode usar a regra dos 3 segundos: quando o veículo à frente passar por um ponto de referência (uma árvore, um poste, etc...), conte os segundos que você levará para chegar ao mesmo ponto. Conte da seguinte forma: 1001, 1002, 1003...o que equivale  ao tempo em segundos. Se resultar em menos de 3 segundos, aumente a distância em relação ao veículo à frente.

Preste atenção às condições da via (pista molhada, buracos, curvas acentuadas, declives, etc...) e as ambientais (chuva, neblina, etc...), que podem comprometer de alguma forma a dirigibilidade ou a sua visibilidade. No caso das condições serem desfavoráveis ou perigosas, diminua a velocidade e aumente a distância em relação ao veículo à frente. Essa atitude temigir grande influência na prevenção de acidentes.

Evite o cansaço em viagens longas, fazendo paradas a cada duas horas. Aproveite para "esticar as pernas". Nesse tempo, veja se as bagagens estão bem pressas, verifique os níveis de combustível e água e também os pneus para evitar imprevistos no trajeto.

Diante de um imprevisto, como um pneu furado ou pane, sinalize e trafegue para um local seguro em que possa parar, ligue o pisca-alerta e coloque o triângulo de segurança a, pelo menos, 30 metros da traseira do veículo.

Esse local seguro deve ser de fácil visualização. Se possível, evite parar em uma curva ou logo após uma, acessos viários e início de descidas também não são recomendados.

Mandar mensagens de texto, falar ao celular, trocar de música no seu mp3, utilizar fone de ouvido, ou carregar o seu cãozinho no colo são infrações, pois a distração pode acabar em acidente. Procure manter-se totalmente concentrado na atividade de dirigir.

Bebida alcoólica não combina com viagem segura. Se for dirigir, não arrisque: Não beba! Caso beba, dê a chave para outro condutor, que não tenha bebido. Já no caso de medicamentos, certifique-se que o remédio não afetará sua capacidade de atenção, concentração e reflexo necessários para dirigir (consulte o médico/leia a bula).

A imprudência continua a provocar muitas mortes e lesões no trânsito. Faça sua parte, pratique sempre essas dicas de comportamento seguro e boa viagem!

Meus Amigos tenham um Novo Ano de muita Luz, Paz, Saúde, Harmonia, Segurança e Alegria e, sintam-se abraçados, fiquem com Deus, Alex.
     

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE DO TAXISTA GAÚCHO !!!



Mais um Natal está chegando, tempo de confraternização entre amigos e familiares, muita festa, presentes com muita alegria e animação. Tempo também de resoluções, metas a serem alcançadas para o Novo Ano que está  chegando.

Aproveitando este momento festivo começo  " A CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE DO TAXISTA GAÚCHO " , que espera poder contar com todos os seus Amigos e Leitores, para levar aos nossos Irmãos necessitados uma ajuda, um carinho em forma de donativos... Roupas, Calçados, Alimentos, Brinquedos, Eletrodomésticos, etc...

Toda e qualquer doação será muito bem vinda, milhares de nossos irmãos com as mais diversas necessidades aguardam ansiosos. Uma  parte considerável de nossa população vive em situação miserável, não podemos mais esperar que somente o Governo resolva tudo, façamos a nossa parte...Todos podemos ajudar ! Vamos revisar nossos closets, roupeiros e armários procurando por coisas que já não mais usamos, eletrodomésticos que estamos pensando em trocar por novos e mais modernos.

Enfim, considerem como parte de suas resoluções do Ano Novo que chega esta ajuda aos necessitados. Aliviem um pouco do sofrimento estendendo está mão solidária aos nossos irmãos carentes, chamem que iremos até vocês, (Oi)8464.0233... Lembrem-se está é uma Campanha Local e permanente, por enquanto pelo menos, só em Pôrto Alegre. Quem sabe mais irmãos Blogueiros não se engajem nesta Campanha também, espalhando Amor e Caridade por todo o Brasil.

Meus Amigos, que o verdadeiro Espírito de Natal, que nos foi trazido por Jesus, que aniversaria nesta data, Ilumine a todos Vocês e suas Famílias com muita Paz, Amor, Harmonia, Saúde e Alegrias, fiquem com Deus e um abração, Alex.


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O ESTRESSE E AS PREOCUPAÇÕES DO FIM DO ANO !!!


Quando o fim do ano se aproxima, as pessoas se sentem sobrecarregadas com o excesso de trabalho, gastos e obrigações, o que causa estresse. Mesmo sendo um período de confraternização, é comum nos sentirmos estressados, desanimados e forçados a demonstrar uma alegria que pode não fazer parte da nossa vida naquele momento.

Tudo isso gera ansiedade e tensão, que identificamos em nosso corpo como estresse. O estresse, na verdade, é a tensão causada pelo desequilíbrio interno do nosso organismo.

Além dos afazeres cotidianos, temos de conciliar o fim do ano com uma série de comemorações, preparativos para as férias, planejamentos econômicos e shoppings lotados. Tanta coisa a fazer gera uma impressão de atraso diante dos afazeres. Nem sempre sabemos respeitar o tempo do corpo e pulamos os momentos de repouso. Aí, quanto mais nos dedicamos aos múltiplos compromissos, mais nos estressamos. A necessidade de quitarmos o ano que se encerra também pode causar angústia.

É no fim de ano que fazemos um balanço de tudo que fizemos e conquistamos durante este período, representado pelos 365 dias do ano. Este ciclo é uma convenção da nossa sociedade e não deveria representar algo tão sistemático e implacável, como muitas pessoas encaram.

Devido à soma de problemas e afazeres, o estresse pode afetar a saúde. Se você já estiver com a saúde debilitada devido à baixa de imunidade, com o estresse da correria de compras, gastos e confraternizações, poderá contrair alguma doença, as doenças mais comuns nessa época do ano são dores de cabeça, azias e problemas estomacais, alergias em geral, pressão alta, insônia e, em casos mais graves, doenças cardíacas.

Para controlar o estresse de fim de ano, é necessário saber dizer não para compromissos que você sabe que não conseguirá cumprir ou que exigirão muita energia para sua realização. Outra coisa que pode funcionar é delegar funções. Não tente fazer tudo sozinho, distribua tarefas para as pessoas que estão envolvidas nas situações.


Encare este período com leveza, sem se pressionar e tendo consciência que é um estresse passageiro. Saiba também otimizar o seu tempo. Concentre, por exemplo, a compra dos presentes para uma ou duas visitas ao shopping. Além disso, reservar um tempo para si é fundamental. Faça algo que você goste, como ir ao cabeleireiro, fazer uma massagem, marcar um almoço com amigos ou ir ao cinema.

Para evitar a frustração no final do ano, é melhor estipular poucas metas e traçar um plano de ação com pequenos passos a serem conquistados. É imprescindível ser realista com os prazos que você mesmo determinará, pois é melhor demorar mais tempo para fazer algo e executar, do que não realizar nada.


Fiquem com Deus, tenham uma ótima semana e um grande abraço, Alex. 

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

DIÁRIO VIRTUAL, HISTÓRIAS QUE VÊM DE TÁXI !!!


Todos os dias, ali pelas 5h, o taxista Alex Pinto, 55 anos, sai do Bairro Glória, onde vive, para o seu passeio diário. Ele não sabe o destino, nem quem o acompanhará e menos ainda quanto tempo levará a viagem. É desta forma que ele define a rotina da profissão que desempenha há quatro anos.
Há pouco mais de um ano, tudo o que Alex percebe nos seus passeios, ou melhor, nas suas corridas pela Capital, e também aquilo que ouve das pessoas que transporta diariamente serve de recheio para dois blogs que ele mantém atualizados semanalmente.
No taxistagaucho.blogspot.com, que já registra mais de 15 mil acessos, Alex trata de tudo o que envolve o trânsito – motoristas, ciclistas, pedestres, carroceiros, além do meio ambiente, saúde e outros assuntos. Já no tchescutando.blogspot.com, entram em pauta os assuntos da semana, o que foi manchete no banco de trás do táxi: varizes, a morte de Amy Winehouse, a educação das crianças, entre outros temas.
– Gosto de falar, comentar sobre a vida. E está tudo aí. Para quem roda como eu rodo (entre 200km e 300km por dia), basta prestar atenção. E no táxi a gente ouve muito, fala muito – conta.
Apesar de ser um bom observador, Alex conta que foi surpreendido pela escrita e pela leitura.
– Eu não era leitor nem de livros, muito menos de blogs – revela o taxista, que hoje lê jornais, ouve rádio e pesquisa bastante na internet em busca de conteúdo para enriquecer seus textos.
Quando o passageiro entra no táxi, Alex aproveita para divulgar os blogs. No cartão com os endereços, ele incluiu também a informação de que fala inglês, idioma no qual adquiriu fluência depois de 17 anos de trabalho nos Estados Unidos.
E o taxista blogueiro adianta seu próximo plano: instalar uma webcam para ter a oportunidade de mostrar também em vídeo o cotidiano de um taxista em Porto Alegre.

DIÁRIO GAÚCHO

Esta foi uma matéria que saiu no jornal Diário Gaúcho(05/12/11), aqui de Porto Alegre,  mostrando algumas pinceladas da minha vida. Agradeço muito a repórter ROBERTA SCHULER responsável por ter escrito esta linda matéria. Tenham uma ótima semana, fiquem com Deus e um grande abraço, Alex.
Deixo abaixo o link da matéria ...
http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/diario-gaucho/19,0,3585491,Diario-virtual-historias-que-vem-de-taxi.html







quarta-feira, 30 de novembro de 2011

VIDAS EM RISCO, SANEAMENTO BÁSICO !!!



Hoje em meu trabalho me encontrei envolvido em uma tempestade de verão, muita água e vento forte, combinação esta que rapidamente alagou as nossas ruas. Situações que levam o sofrimento as pessoas que menos têm, com moradia e urbanização precárias.  
Não devemos nos surpreender com a volta das epidemias, na medida em que estas são um claro reflexo do quadro precário das condições de vida e de saúde. Não é preciso falar dos problemas do sistema de saúde pública, do precário atendimento e das dificuldades de acesso aos serviços de saúde, pela população de baixa renda.
O impacto das enchentes e da falta de saneamento básico, um problema que parece não ter fim nas nossas cidades, se mede pelo aumento dos casos de sarampo e leptospirose.
Os riscos socioambientais se acentuam em virtude da urbanização predatória e seus reflexos: aumentos das enchentes, problemas cada vez mais complexos na gestão dos resíduos sólidos e a interferência crescente do seu despejo inadequado em nosso meio ambiente, e impactos cada vez maiores da poluição do ar na saúde da população.
O que deve ser ressaltado é que a dinâmica de urbanização existente, marcada pela segregação social, exclui a população de baixa renda do acesso aos serviços urbanos básicos. No caso de nossas grandes cidades, cujos favelados representam hoje 20% da população, a precarização das condições de vida se mede pela falta de condições de saneamento, pela localização das moradias em áreas irregulares e impróprias, como encostas, várzeas, córregos e nascentes contaminadas.
O reflexo disso é a multiplicação dos dramas cotidianos que são mostrados pelos meios de comunicação. A população mais afetada pelas epidemias é a mesma que não tem acesso garantido à água potável, à rede de esgotos, e à coleta de resíduos sólidos. E é a mesma população que frequentemente mora próxima ao lixões, e em locais sujeitos a enchentes. Os problemas de saúde dos moradores dos bairros de periferia e das favelas têm a ver com a presença de insetos e roedores no seu entorno, com a falta de serviços de infra-estrutura de saneamento básico, o que faz com que o lixo se acumule nas ruas e os esgotos corram em canaletas a céu aberto.
Os mais pobres dentre os pobres são as grandes vítimas desse quadro que se mostra cada vez mais preocupante. E nesse sentido também deve ser ressaltado o impacto decorrente da lentidão do poder público na resolução do problema das enchentes que atualmente desorganizam a vida de milhares de pessoas, colocando-as em risco por causa da invasão das águas.
É preciso que além da resposta pública também haja uma resposta da cidadania, engajando-se e exigindo espaços de co-responsabilidade e de participação que reconheçam os direitos dos cidadãos, assim como reforcem laços de solidariedade num contexto de crescente pressão social.
Fiquem com Deus e tenham uma ótima semana, um grande abraço, Alex.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

A IMPUNIDADE DO INFRATOR !!!



Pesquisa realizada em seis capitais pode contribuir para a compreensão do massacre diário provocado por acidentes de trânsito com o envolvimento de motoristas alcoolizados. Uma surpresa do estudo abala a convicção de que a combinação bebida e direção está geralmente associada aos jovens. Pessoas na faixa etária de 40 a 59 anos respondem por 65% dos desastres. A conclusão mais alarmante é a que comprova, com números, a incontestável relação entre tragédias no trânsito e consumo de bebidas alcoólicas. De todos os acidentes pesquisados, em 27% os condutores apresentavam presença de álcool no sangue acima do limite previsto em lei.


O que importa, nas conclusões finais, é o detalhamento do que foi apurado. É assustador saber, por exemplo, que pelo menos um quarto das pessoas que provocam acidentes estava alcoolizado. Em primeiro lugar, é de se perguntar como, três anos depois da implantação da chamada Lei Seca, motoristas alcoolizados continuem causando tantas tragédias.

Outra evidência apresentada pela pesquisa, em relação ao alto índice de envolvimento de pessoas com mais de 40 anos, demonstra que a irresponsabilidade ao volante não é uma exclusividade de jovens. Motoristas que deveriam ser vistos como referência de cuidado no trânsito são denunciados pelo estudo como os mais relapsos.Mostra-se, nesse caso, a cultura do desrespeito, do desprezo pela vida alheia e, enfim, da falta de civilidade nas ruas e estradas.


As autoridades cumprem o seu papel ao impor mais rigor contra a irresponsabilidade ao volante, mas esbarram na frouxidão da legislação e até mesmo em outras normas legais. A repressão começa a falhar quando os motoristas, mesmo sob visíveis sinais de embriaguez, se negam a se submeter ao teste do bafômetro, protegidos por direito assegurado na Constituição – o de que ninguém pode ser obrigado a produzir prova contra si. A lei continua falhando quando o infrator chega a ser preso mas é libertado logo depois mediante pagamento de uma fiança de baixo valor. Constata-se que somente fica detido, e mesmo assim por poucos dias, quem não tem dinheiro para conquistar a liberdade, ou quem cometeu danos gravíssimos, como a morte de alguém no trânsito. Enquanto isso, muita gente continua morrendo ou matando nessas situações.

Não há outro caminho que não seja o de tornar a lei efetiva, não só por seu rigorismo, mas também pelo aumento da capacidade de fiscalização das autoridades. É assim nos países desenvolvidos. A Lei Seca precisa resgatar sua essência, para que ninguém dirija depois de beber e os infratores sejam de fato punidos, em nome da preservação dos direitos e da vida da maioria.

Fiquem com Deus, tenham uma ótima semana e um grande abraço, Alex.



quarta-feira, 9 de novembro de 2011

PORQUE TE IRRITAS ???




A irritação, segundo o dicionário, é a ação que excita os nervos, os órgãos.

Alguns estudos dizem que quem fica irritado não é você e sim seus sentidos. Os sentidos existem como veículos de captação de informações. E você está recebendo dezenas de informações de todas as partes a cada instante.

Nossos sentidos são influenciados por crenças, regras, julgamentos e interpretações, sem contar as experiências que vamos adquirindo durante o dia, que funcionam como uma constante reprogramação do que é certo e errado.

E isso é um mecanismo de defesa do ego, que é alterado de acordo com as circunstâncias e o ambiente em que você está inserido. A irritação é um desconforto que altera nosso humor e nos muda até mesmo fisicamente.

Mas, precisamos admitir que alguém só consegue nos irritar se estivermos “irritáveis”. É isso mesmo: ficar irritado depende da gente e não dos outros. Por isso, vale a pena entender o que te irrita e como você reage a isso. Será que o local em que vive está te incomodando? O trânsito está pesado?

Procure ver o que causa sua irritação e coloque sua paciência em prática, procurando sempre o seu ponto de equilíbrio. Esse será um bom começo, assim as situações e a reação de outras pessoas não te tiraram do sério. Lembre-se de que a decisão de ficar irritado é sua, assim como ser amigável e colaborador também é uma decisão que cada um tem que tomar.

Tenham uma ótima semana, fiquem com Deus e um grande abraço, Alex .

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

MOTOS, HABILITE-SE ! É A SUA VIDA !!!


Lendo o jornal está semana me deparei com uma impactante notícia revelando que de acordo com o estudo Mapa da Violência 2011, realizado pelo Instituto Sangari, o número de motociclistas mortos em acidentes de trânsito aumentou 754%. Em 1998 foram 1.047 mortes de motociclistas no país. Dez anos depois, o número subiu para 8.939 mortes.

Subir na moto, dar a partida no motor, colocar o capacete, ajustar a jugular e baixar a viseira, iniciar a prova. Começar o labirinto sinalizando à esquerda e à direita, entrar no oito e fazer a segunda marcha e, ao final do mesmo, reduzi-la novamente. Fazer a segunda parada e após arrancar e fazer o slalom(cones) e depois subir na prancha fazendo novamente a segunda marcha e ao final e ao final reduzir a marcha novamente. Parar no "Pare" e repetir tudo por mais duas vezes. E, no final do exame, dirigir-se até o examinador para receber a aprovação.

Isso mesmo, a aprovação; porque o candidato à CNH categoria A enfrenta uma rotina de repetição exaustiva da primeira à vigésima aula, ficando assim fácil a aprovação. O candidato é obrigado a fazer 20 horas-aula ali mesmo, sendo que a primeira e a última aulas são exatamente iguais. São 20 horas-aula de 50 minutos cada. Ou seja, são mil minutos do mesmo trajeto, onde não acontece absolutamente nada de diferente, nenhuma adversidade.

Ao contrário da pista, que é delimitada por faixas amarelas, na rua o candidato está propenso a várias condições adversas, como do pavimento, que pode ser de paralelepípedos, asfalto e estradas de chão. Fazendo aula sob uma confortável pista coberta, o futuro condutor de motocicleta ou veículo de três rodas não  é testado para condições adversas do tempo, que exigem muito do condutor na pilotagem. Depois de 20 aulas , ele pode, sim,ser aprovado, mas ainda não pilotou com forte calor, ou sob chuva, nem com vento extremo. Então, só resta a ele aprender lá fora por sua conta e risco, podendo provocar acidentes pela falta de treinamento nessas condições.

Ao contrário do candidato à categoria B, o candidato à categoria A não recebe o treinamento no trânsito em meio aos outros veículos na rua, para ir adaptando-se a um universo que é extremamente diferente de uma pista, onde cada motociclista espera sua vez de inciar o circuito. Isso se complica ainda mais para aqueles candidatos que têm mais dificuldade para pilotar, mas conseguem a aprovação. Pois depois de 20, 40, 60 aulas, o candidato acaba se familiarizando com a repetição daquele circuito, conseguindo a aprovação. Afinal, nesse percurso é tudo sempre igual, condições adversas não acontecem, a velocidade é sempre a mesma em todas as aulas.

Muitos motociclistas perdem a vida todos os anos, por inúmeras causas. Excesso de velocidade, desrespeito à sinalização, e pela combinação de álcool e direção. A falta de preparo dos novos pilotos não pode estar vinculada ao número de mortes??? Isso em decorrência de um sistema falho, ultrapassado e precário. Precisamos fazer alguma coisa ou mais vidas serão perdidas bruscamente !!!

Fiquem com Deus, tenham uma ótima semana e um grande abraço, Alex.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

QUANDO DEVO PARAR DE DIRIGIR ???


Se o seu pai idoso ou outro membro da família é como a maioria das pessoas, a decisão de parar de dirigir é provável que seja dolorosa. Ela levanta uma série de problemas práticos (Como é que eu vou ir ao médico? E sobre minhas saídas semanais para jantar e um filme?).Também representa uma outra perda em um momento da vida já fustigada por grandes perdas -. De independência, de saúde, amigos e entes queridos ao longo da vida. Por razões práticas e emocionais, então, desistir de dirigir é uma transição que todos os envolvidos querem adiar o maior tempo possível. Não é de admirar que os filhos adultos e muitos cônjuges dizem que tirar as chaves do carro está entre as coisas mais difíceis de fazer.


Ainda assim, se você tiver preocupações sobre a capacidade de condução de um membro da família, é vital não ignorá-las. Muitos idosos são capazes de conduzir com segurança bem em seus 80 anos e até início dos 90 anos, mas também é comum para os idosos terem problemas de visão e audição, diminuição dos reflexos, e doenças que podem comprometer sua capacidade de dirigir com segurança.

É muito importante não provocar um membro da família a parar de dirigir até que você esteja convencido de que ele é realmente perigoso ao volante. Os especialistas concordam que a idade por si só não é parâmetro para pobres habilidades de condução. Motoristas mais velhos realmente causam menos acidentes e atropelamentos do que motoristas de qualquer outro grupo etário, e também os idosos são bem mais cautelosos com a segurança ao volante: Eles estão mais propensos do que os outros motoristas a usar cinto de segurança, e menos probabilidade de beber e dirigir. 


Como você pode dizer quando chegou a hora de alguém parar de dirigir? Deixo a seguir algumas diretrizes que irão ajudá-lo a evitar ser alarmista, e ao mesmo tempo, perceber quando é chegada a hora que a condução não é mais uma atividade segura para o seu ente querido.

Condições de Saúde - Deficiências físicas e mentais que acompanham o envelhecimento, da doença de Parkinson até a demência.

Comprometimento Visual - Visão é obviamente um componente chave da capacidade de condução. Na verdade, 90% da informação necessária para dirigir com segurança se relaciona com a capacidade de ver claramente. De fazer a leitura clara do velocímetro, para detectar pedestres ao largo da estrada, boa condução requer uma boa visão. Deterioração da visão é um efeito inevitável do envelhecimento, em pessoas com 75 anos e mais velhos, as taxas de deficiência visual aumentam significativamente. À medida que o olho envelhece, muito menos luz atinge a retina, olhos mais velhos são mais suscetíveis à catarata, glaucoma e outros problemas que prejudicam a visão. 

Deficiência Auditiva - Um terço das pessoas acima de 65 anos têm problemas de audição. Perda de audição pode acontecer de forma gradual, sem perceber, e minar a sua capacidade de ouvir buzinas, pneus cantando, sirenes e outros sons que normalmente colocariam alguém em estado de alerta. 

Medicamentos - Muitas drogas podem comprometer a capacidade de condução por causar sonolência, visão turva, tremores, ou outros efeitos colaterais. Certos medicamentos tomados em combinação também podem interagir e causar sérios problemas. Se um membro da sua família toma um monte de comprimidos diariamente, seria prudente educar-se sobre as drogas e possíveis efeitos colaterais. Mesmo remédios fitoterápicos e os que não necessitam receita podem também afetar a capacidade de condução. 

Bebidas Alcoólicas - Beber e dirigir é sempre uma combinação perigosa;adicione velhice à mistura e você tem um desastre esperando para acontecer. Em pessoas com mais idade, o álcool permanece mais tempo no organismo e diminui a tolerância. Além disso, pessoas idosas são susceptíveis a estarem medicadas,o que pode agravar os efeitos do álcool. Se beber, não dirija ... Se você suspeita que seu familiar é de beber e dirigir, não espere tome uma decisão.


Descubra se ele tem recebido muitas multas de trânsito. Preste atenção se ele está relutante em conduzir à noite, parece tenso ou exausto depois de dirigir, ou queixa-se de se perder.Discretamente check com os seus amigos e vizinhos e pergunte se eles notaram algum problema de dirigir.

Quando você acompanhar o seu familiar em um compromisso ou passeio, encorajá-o a assumir o volante e olhe para esses sinais de problemas de condução:

Será que ele colocou o cinto de segurança?
Será que ele sente-se confortavelmente ao volante, ou ele debruçasse para frente ou mostra sinais de desconforto?
Ele parece tenso e preocupado, ou distrai facilmente?
Ele é atento a semáforos, sinais de trânsito, pedestres e as reações dos outros motoristas?
Será que ele muitas vezes fica muito perto dos outros carros ou deriva em direção à pista contrária ou em outras faixas?
Ele reage lentamente ou confuso em situações inesperadas?
Se você dirigiu com ele algumas vezes e notou problemas, é hora de 
iniciar uma discussão, fale sobre as suas preocupações e que seria hora de parar de dirigir.

Fiquem com Deus, uma ótima semana e um grande abraço, Alex .

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

HÁBITOS GOSTOSOS OU CONFORTÁVEIS !!!


Perder peso! Essa é uma batalha que faz parte da vida de muitas pessoas. De modo geral, a receita para vencer essa batalha é simples: dieta moderada e exercícios físicos. Porém, ser simples não é o mesmo que ser fácil. Não é fácil seguir uma dieta moderada e fazer exercícios, pois isso exige de nós uma mudança de hábitos. Hábitos muitas vezes gostosos, como comer ambrosia depois do almoço; e muitas vezes confortáveis, como se jogar no sofá após chegar do trabalho.

E o que isso tem a ver com o congestionamento? Parte da solução para congestionamento também passa pela mudança de hábitos das pessoas que circulam na cidade. Hábitos gostosos e confortáveis, como fazer deslocamentos em um modo de transporte “porta a porta” e a privacidade, entre outros confortos proporcionados pelo carro.

Assim como nos parece mais fácil perder peso tomando uma medicação ao invés de mudar hábitos de alimentação e manter atividade física, também é mais fácil pensar em solucionar os congestionamentos usando apenas obras de engenharia e gestão da capacidade viária. Porém, assim como a medicacão, as obras de engenharia e a gestão da capacidade viária, sozinhas, não resolvem o problema dos congestionamentos. 

É imprescindível que haja também a mudança de hábitos. Essa mudança de hábitos não significa, necessariamente, uma mudança total de estilo de vida. É possível adotar novas maneiras de transitar pela cidade em apenas alguns dias da semana ou em apenas alguns deslocamentos do nosso dia a dia. 

Realmente, deixar de usar o carro pode ser algo inviável para muitos de nós. Porém, novos hábitos como: usar o transporte coletivo uma ou duas vezes por semana, levar o filho à escola a pé às quartas-feiras, ir de bicicleta para o trabalho toda segunda, ir ao mercado do bairro a pé, podem ser, não apenas viáveis, como hábitos muito bem-vindos a nossa rotina. 

A ideia é questionar se precisamos mesmo usar o carro todos os dias e em todos os deslocamentos que realizamos. No início, essa mudança de hábito pode parecer difícil, mas não é tão complicada assim. Pensado bem, caminhar, pedalar, andar até a parada de ônibus e lotação podem ser uma boa atividade física, e, assim, dá até para comer uma ambrosia, desde que não seja todos os dias. 

terça-feira, 11 de outubro de 2011

MEU TEMPO DE CRIANÇA E HOJE !!!


Neste dia das crianças resolvi relembrar um pouco de minha infância, por volta do comecinho dos anos 60 a televisão era um luxo. Muitos dos que tinham um aparelho ainda preto e branco tornavam-se o foco da vizinhança. Era esquisito invadir a intimidade de uma outra família, mas tinha lá seu charme, rude mais tinha...Tudo era novidade, uma festa ver TV em uma sala cheia de vizinhos bicões era quase tão divertido quanto ir ao cinema - ou assim me parecia naquela idade.

Diante da TV, quem ditava as regras era o dono da casa, que poderia ou não aprovar comentários simultâneos  , a movimentação no ambiente, as trocas de canal nos intervalos. Talvez por isso a maioria das pessoas não tenha o costume de ver televisão em grupo ( a não ser em datas especiais, como a Copa ).A chance de seus hábitos televisivos não baterem com os de seus amigos é grande; a TV é um hobby da intimidade por excelência. Ou era.

As redes sociais estão mudando para sempre a experiência de acompanhar um programa. Você está lá, vendo a entrega do Oscar, e não precisa mais esperar até o dia seguinte para comentar que o apresentador é um chato ou que o vestido desta ou daquela atriz está espalhafatoso. O horizonte do espectador se expandiu para além da sala de estar; hoje só assiste TV sozinho quem quer ou quem não tem interesse por Twitter ou Facebook. Seja a novela das oito ou um filme qualquer, todo mundo pode comentar com os amigos, e com o mundo o que está vendo, transformando até aquele programa ruim ou bizarro em uma atração que ultrapassa o seu conteúdo em si. A noticia do Jornal Nacional já não disputa a atenção apenas com outros programas ou com a internet, mas com a gravata do William Bonner e o penteado da Fátima Bernardes, que podem gerar mais comentários do que a crise na Europa ou o retorno da inflação.

A conversa fiada ou fofoca em tempo real é talvez a maior revolução na maneira de ver TV desde que inventaram o controle remoto.Muito mais do que a tela plana, a alta definição ou o serviço de videos sob demanda que está chegando agora no Brasil e permite assistir a filmes e programas ilimitados.

A tecnologia oferece muitas possibilidades, mas o que realmente impacta a experiência de consumir conteúdos é a maneira como nos relacionamos com ela. E esta foi uma das muitas lições que Steve Jobs deixou para esta e futuras gerações.

Fiquem com Deus, e que Nossa Senhora Aparecida nos abençoe hoje e sempre. Uma ótima semana e um grande abraço, Alex.

 

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

REGRAS QUE NÃO ESTÃO NA LEI !!!



Educação se traz de berço, é uma afirmação ouvida com frequência. Sim, mas nossa geração é na maioria dos casos somente a segunda ou, quando muito, a terceira geração de condutores e, nestes tempos de motorização acelerada, muitos condutores não tiveram na escola ou na família nenhuma vivência, nenhum aprendizado, nenhuma experiência passada “de pai para filho”. Os CFCs preparam o candidato para que ele tenha sucesso na obtenção da habilitação e preparar o futuro condutor acreditamos todos que a vida se encarregará desta incumbência. Algumas contribuições que nem estão na lei são regras de cortesia importantes, como o andar sempre pela direita. Mesmo como pedestre, vale esta regra que evita aqueles encontrões, esbarrões, com pedestres que não sabem ocupar o lado direito da calçada. O mesmo vale para o corredor do avião, do ônibus, do trem ou mesmo numa escada rolante, onde devemos deixar o lado esquerdo livre, pois há os muito apressados, que nos ultrapassam até na escada rolante. Há ainda a regra de etiqueta, segundo a qual as mulheres devem ser conduzidas pelos homens na parte interna das calçadas, de modo a estarem menos sujeitas a perigo. Descer e abrir a porta para a mulher não foi revogado dentre as regras de cortesia e educação. 


Estacionamento
No local de trabalho, se as vagas do estacionamento não forem previamente definidas , ocupar uma vaga mais distante pode representar um paradoxo, mas esta é uma prática comum entre os executivos japoneses, um povo educado. Imagine-se chegando atrasado, ou com as mãos ocupadas, com chuva, o quanto aquela vaga mais próxima será útil a alguém; é uma questão de educação, de generosidade, e, acredite, as pessoas observam isso. Se ninguém observar, isto nos educará, nos deixará com a consciência em paz. Como normalmente chegamos ao trabalho descansados, ainda não estressados, é útil colocar o veículo de ré, favorecendo a manobra de saída, quando normalmente estaremos mais cansados, com fome, menos atentos. Em muitos casos, as tragédias no trânsito estão mais que anunciadas, basta que olhemos os veículos no estacionamento. 

Buzina
A buzina tem regulamentação legal, servindo única e exclusivamente para, em toque breve, alertar aos desatentos, a fim de evitar acidentes e, fora das cidades, para alertar que pretendemos ultrapassar algum condutor, quando isto for conveniente. Além de ser infração, o uso da buzina fora dessas situações só contribui para elevar o nível de estresse.

São regras básicas de convívio na sociedade do trânsito que exige de nós apenas um pouco de bom senso, de nos colocarmos no lugar do outro e o trata-lo como gostaríamos de ser tratados. Simples ? E então porque complicamos? 
Pensem nisto! Uma ótima semana, fiquem com Deus e um grande abraço, Alex. 

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

AUTOPROTEÇÃO !!!



Não tenho dúvida de que a campanha do desarmamento está obtendo resultados muito positivos para a sociedade e, sem dúvida, desta forma, reduzindo o potencial de armas em posse de pessoas de bem irem parar nas mãos de pessoal do mal. Além disso, entendo que indivíduos que um dia compraram uma arma, ou porventura herdaram, mas nunca buscaram conhecimento técnico, não costumam treinar constantemente e, muitas vezes, têm medo do objeto, ou mesmo, aquelas que há muito tempo fizeram um simples curso básico de tiro, efetivamente devem se engajar à campanha e doar suas armas.

Na grande maioria desses casos, as armas estão oxidadas, as munições invalidadas e, além de não atenderem à necessidade de proteção numa real necessidade, ainda são foco de desejo por parte de delinquentes, sendo o que muitas vezes motiva a invasão de uma residência ou propriedade. Nesses casos, os resultados da utilização de arma de fogo em momentos de real necessidade são desastrosos para o cidadão, pois este encontra-se em enorme desvantagem com relação a um marginal.

O que é efetivamente errôneo afirmar é que o índice de homicídios se reduzirá através do desarmamento da população. Se essa teoria fosse correta, os índices de homicídio deveriam estar despencando em nosso país, o que não é realidade. Além disso, o homicídio por natureza, por ser um crime causado por desavença, acerto de contas, motivos passionais e/ou por ação de sociopatas, será ocasionado, na falta de uma arma de fogo, por arma branca, por asfixia, por atropelamento, ou qualquer outro formato que possa ser aplicado para matar uma pessoa.


Sendo assim, devemos lutar para manter sempre os direitos de uma parcela de nossa sociedade, que devido aos crescentes índices de criminalidade e à falência de nossos órgãos de segurança pública, possa achar por bem que deva, sim, utilizar-se de uma arma para proteger a si e a sua família. Nesse caso, o comprador deve se enquadrar nas exigências da Lei 10.826, de 22 de dezembro de 2003, para adquirir e/ou portar uma arma de fogo.

Obviamente, nesses casos, os cidadãos deverão fazer o uso consciente desta ferramenta de proteção pessoal, buscando conhecimento e aperfeiçoamento constante em escolas e clubes legalizados. No momento em que perdermos esse direito, certamente perderemos nossa liberdade. É importante termos ciência de que a campanha do desarmamento não é a proibição da utilização de arma de fogo por pessoas de bem que cumpram as exigências legais.
Uma ótima semana, fiquem com Deus e um grande abraço, Alex.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

PARABÉNS MEUS AMIGOS ,PRIMEIRO ANO !!!


Parece que foi ontem com algumas linhas meio tímidas começava o Blog do Taxista Gaúcho ( nome que coloquei porque sou taxista e sou gaúcho e claro não existia ,rsrsrs...) .Voltado para o universo do trânsito nosso de cada dia motoristas e pedestres em nossos deslocamentos diários .

Sem grandes pretensões e com a humildade de um observador ligado nas diferentes influências que sofremos ao participar deste meio ambiente atual .Somos pedestres ,motoristas ,motociclistas e ciclistas interagindo em um constante cenário urbano ,cada vez mais desprovido do espirito comunitário .

O aniversário é do Blog !Mas os parabéns são para todos vocês meus amigos pessoais e virtuais ,amigos que ao longo deste primeiro ano me elogiaram ,criticaram ,comentaram ,deram sugestões e uma grande força ,para que cada vez mais eu busque novos ângulos ou nem tão novos de transmitir um pouco do que vejo e sinto mergulhado neste labirinto urbano . 

Está postagem é um agradecimento e reconhecimento do quanto importante são todos vocês meus amigos leitores ,novamente meus parabéns e que está data se repita por muitos e muitos anos .Fiquem com Deus ,uma ótima semana e um grande abraço ,Alex .
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...